Termas Gellért: banho quente a zero grau em Budapeste

Budapeste é conhecida mundialmente pelas suas águas termais. Os muitos spas da cidade atraem diariamente locais e turistas em busca de um banho quente terapêutico. Foi na capital da Hungria que tivemos uma das experiências mais curiosas da viagem. Encaramos no Termas Gellért uma piscina ao ar livre em pleno inverno no Leste Europeu. Enquanto a temperatura da água chegava a 40°C, os termômetros se aproximavam de zero grau.

A entrada no Termas Gellért varia entre 5100 e 5700 forintes (aproximadamente entre 16 e 19 euros na conversão) dependendo do dia e da opção por locker ou cabine. A sugestão é optar pela cabine para ter mais privacidade. Assim você pode guardar seus pertences, se trocar à vontade e ela ainda pode ser usada pelo casal.

O spa oferece também aluguel de toalhas e chinelos. O preço gira em torno de 3 euros, mas se a ideia é economizar, a dica é levar os objetos na mochila.

termas gellert budapeste viajenoblog

Decoração incrível

Para desfrutar do Gellért, algumas regras são fundamentais. É bom lembrar que o lugar é para relaxamento e uso terapêutico e não como centro de diversões. Por isso é proibido mergulhar ou tentar qualquer tipo de acrobacia para entrar nas águas. Para nadar só com touca e em piscina autorizada.

A encantadora decoração no interior do termas por si só já é motivo para visitar o local. O conjunto de vitrais, mosaicos e estátuas fazem de Gellért uma das atrações mais bonitas de Budapeste. Porém, o banho termal é indiscutivelmente o principal chamativo.

A área interna é composta por duas piscinas. Uma de 246 m² com banho a 27°C e outra de 60 m² aquecida a 36°C. Escolhemos a segunda para ficar mais tempo. Nela é possível sentar e relaxar no extenso banco construído ao redor. Duas estátuas colocadas nos cantos jorram água constantemente. Caso consiga uma brecha no concorrido espaço, se posicione embaixo da cascata e sinta o efeito massageador nas costas.

Aventura inesquecível

O grande destaque do termas fica ao ar livre. Uma piscina de 500 m² com 26°C simula ondas. A máquina que produz o efeito foi originalmente instalada em 1927 e funciona até hoje. Infelizmente, como era inverno, ela estava fechada quando fomos. Assim não conseguimos desfrutá-la.

Mas foi na outra piscina (de 94 m²) no lado de fora do termas que passamos por uma situação bem diferente. A água pelando contrastava com o frio congelante. Era tanto vapor que saía das águas que mal era possível enxergar as pessoas ao lado.

Enquanto permanecemos na água tudo foi uma maravilha. O desafio foi fazer o caminho de volta até o interior do termas. Não é brincadeira, ao calçar os chinelos eles mais pareciam dois cubos de gelo.

O Gellért conta ainda com espaços exclusivos para massagens, tratamentos específicos, banhos naturistas exclusivos e até chocolate spa.

hotel gellert budapeste viajenoblog

Como chegar no Termas e Hotel Gellért

O famoso termas está instalado em Buda em uma área que inclui um lindíssimo hotel. O complexo em estilo secessionista foi construído entre 1912 e 1918 aos pés do Monte Gellért. Além do nome, o monte fornece a água termal rica em magnésio, cálcio, hidrogenocarbonato, íons de flúor e sódio.

Conforme os responsáveis pelo spa, a composição da água ajuda a curar artrite crônica, problemas de circulação sanguínea, doenças degenerativas das articulações, doenças da coluna vertebral, dores de disco intervertebral e neuralgia. Além de bronquite crônica e queixas asmáticas.

Para visitar o local, o excelente metrô de Budapeste é o transporte melhor recomendado. A estação mais próxima (Szent Gellért tér) fica praticamente em frente ao hotel.

 

*Imagens: Arquivo Pessoal e Pixabay

Um comentário em “Termas Gellért: banho quente a zero grau em Budapeste

Deixe uma resposta