Sete dicas para economizar em Londres

Férias e viagens normalmente são períodos para relaxar, aproveitar ao máximo e deixar de lado as preocupações. Porém, não tem nada pior do que voltar de viagem e se deparar com surpresas no cartão de crédito. Por esse motivo, elaboramos uma lista com sete itens que vai te ajudar a economizar na sua próxima viagem a Londres. Afinal, com a libra beirando a casa dos 7 reais qualquer economia é bem-vinda não é mesmo?

1- Priorize os museus gratuitos

british1

A grande maioria dos museus de Londres não cobra entrada dos visitantes. São museus extraordinários, com coleções riquíssimas em história e informações que estão ali, de graça, para quem quiser visitar. E o melhor de tudo? Há opções para todos os gostos. Natural History para os amantes da biologia e história da evolução. Victoria and Albert para quem ama design e moda. Além do famosíssimo e espetacular British Museum – um dos museus mais importantes do mundo que guarda verdadeiros tesouros das civilizações – National Gallery, Museu Marítimo e Tate Modern, por exemplo.

Em todos esses museus você vai encontrar pedidos e espaços para doações. Mas dai, cabe a você achar se deve contribuir ou não. Uma forma bacana de ajudar o museu sem comprometer o orçamento é pagar pelos mapas da atração. Em geral, é pedido o valor simbólico de 1 libra por cada.

2- Site 365 tickets

londoneye1

Com tantas atrações incríveis gratuitas disponíveis fica difícil querer colocar a mão no bolso para visitar alguma coisa. Mas caso você faça questão a dica é comprar pelo site 365 tickets (www.365tickets.co.uk)
Nesse site é possível comprar ingressos para várias atrações de Londres como a London Eye e a Torre de Londres, por exemplo, com desconto. Outra opção bacana são os tickts combinados que saem mais em conta ainda. Durante nossa visita a Londres nós compramos o ingresso da London Eye e do Palácio de Kesington juntos pelo valor de 60 pounds para duas pessoas. Comprados separados os bilhetes sairiam por 23 e 17,50, respectivamente, ou seja, 81 para os dois.

Mas atenção: é preciso imprimir e levar com você o voucher disponibilidade pelo 365. Sem esse documento seu ingresso não estará garantido.

3- Abuse dos supermercados

IMG_7001

Mesmo que você não fique hospedado em um apartamento ou um hostel com cozinha, é possível gastar menos comprando nos mercados de Londres. Sem dúvidas o chocolate, lanchinho e até a água que você vai consumir no dia a dia sai mais em conta quando comprados nos supermercados.

IMG_7005

Nesses estabelecimentos são comuns as promoções do tipo “leve 2 e pague 1. Por isso, é bom ficar de olho na hora de procurar os produtos para garantir os melhores preços. Já quem quer economizar ainda mais pode apostar no “Meal Deal”. Que nada mais é do que uma “refeição combinada”, composta por três itens, que saem bem mais em conta quando comprados juntos.

IMG_7004

Em geral, o “Meal Deal” inclui um sanduíche, uma fruta ou chocolate ou salgadinho e uma bebida que pode ser água, refrigerante ou suco. Ou seja, três itens por um precinho camarada. Durante nossa estadia em Londres encontramos esse tipo de promoção tanto no Tesco quanto no Sainsbury’s por 3 pounds! Ah, vale lembrar que os mercados de Londres cobram 5 centavos por cada sacola plástica. Leve sua sacola de tecido ou compre uma lá. Vale a pena.

4- Aproveite os menus de almoço

IMG_7798

A maioria dos restaurantes localizados na zona turística de Londres oferecem menus a preço fechado para o almoço. Em geral, estão inclusos entrada, prato principal e sobremesa ou duas entradas e um prato. Isso varia de acordo com cada restaurante, mas os preços são sempre atrativos e não ultrapassam os 9 pounds.

Para quem busca lugares bacanas e que tem esse tipo de serviço recomendamos os italianos Bella Itália e Spaghetti House e o mexicano Chiquito. Em todos esses também possível encontrar pratos bacanas fora do menu que vão de 8 a 15 pounds. Outro restaurante bem recomendado e que não dói no bolso é o português Nando’s especialista em frango.

5- Procure hospedagem nas zonas 1 e 2

Com certeza o item que mais encarece a viagem, fora a passagem aérea é a hospedagem. Nós já te mostramos aqui e aqui algumas opções em conta na cidade, mas caso você queira ir além é importante lembrar de procurar hotéis nas zonas 1 e 2. As zonas 1 e 2 são as mais centrais de Londres e, consequentemente mais caras, mas ainda assim, não vale a pena ficar hospedado fora delas. Isso porque o valor que será gasto em transporte não compensa a “economia” no hotel.

O transporte público a partir da zona 3 é mais alto do que para as zona 1 e 2, além disso você perderá muito tempo em deslocamento. Outro ponto importante é que Londres tem muitas atrações espalhadas pela cidade. Com certeza se hospedando perto do centro você estará a uma curta distância a pé de alguma delas.

6- Compre um Oyster Card

Essa é uma dica de ouro, principalmente para quem vai ficar poucos dias na cidade. O Oyster é o cartão do transporte público de Londres. Com ele você pode andar de metrô, ônibus e trem. Mas o grande barato do cartão é que ele permite que você economize e muito nas tarifas do transporte público.
Funciona assim: para recarregar o Oyster você tem duas opções. A “pay as you go” e os passes semanais e mensais. Na primeira opção você vai colocando créditos no cartão a medida que precisa e é aí que você ganha descontos.

Por exemplo: a tarifa do metrô custa 2,30. Então se você for usar o ticket normal terá que pagar 2,30 a cada viagem. Já no Oyster há um teto de 6,40 libras. Ou seja, você pode andar diversas vezes no dia que só pagará os 6,40. Vale lembrar que o bilhete pra um dia de papel custa o dobro: 12 pounds.
O cartão custa 5 libras que são reembolsáveis ao final da viagem. Ah, no fim da viagem eles também te devolvem todo o saldo positivo que tiver no cartão.

7- Ande de ônibus

Imagem 027

Já está com o seu Oyster em mãos e quer economizar ainda mais? Ande de ônibus! As tarifas de ônibus de Londres são bem mais baratas que as do metrô. Custam 1,50. É possível também comprar passes semanais especiais somente para os ônibus. Já com preço reduzido.

Além disso, ônibus são super eficientes. Você não corre o risco de ficar perdido. Cada ponto mostra qual linha para por ali e contém um mapa mostrando quais as próximas paradas do coletivo. Há também um painel que revela em quanto tempo o próximo ônibus chegará. Dentro deles, avisos sonoros te lembram qual é aquela linha e qual o próximo ponto.

Vale lembrar que os ônibus não aceitam mais dinheiro. É preciso ter um Oyster para conseguir embarcar.

4 comentários em “Sete dicas para economizar em Londres

  1. […] – Sete dicas para economizar em Londres – Londres de A a Z *Os museus de Londres não cobram pela entrada. Eles sugerem aos visitantes uma colaboração simbólica. O valor varia de um lugar para o outro. Uma forma de ajudar na manutenção dos espaços é adquirindo um mapa no início do tour. O folheto custa entre 1 e 2 pounds. […]

Deixe uma resposta