Por que todo mundo deveria mochilar uma vez na vida?

Começo o texto afirmando que pelo menos um vez na vida todo mundo deveria ter o direito de mochilar ou fazer uma viagem longa. A proposta é tirar um período sabático, refrescar as ideias, ter contato com novas culturas, dar uma volta ao mundo, conhecer outro continente ou até mesmo descobrir o próprio país a fundo. O tamanho e o tipo da jornada fica a critério de cada um.

O objetivo inicial é o descanso prolongado. Abandonar a rotina estressante de trabalho, deixar de ver e-mails e não se preocupar com o celular aos poucos vão sendo um alívio para a memória. Em alguns dias de viagem a “chavinha” na cabeça já muda de lado. As preocupações passam a ser outras, como escolher com que roupa sair de casa, definir qual atração ver e até mesmo optar entre praia e piscina. Bem mais agradável, não é mesmo?

Planejar um mochilão ou uma viagem longa vai marcar para sempre a vida. O desafio é enorme e vai servir de lição para tudo que vier depois. Não é fácil criar coragem, economizar todo dinheiro necessário e finalmente fechar o roteiro. Ver a viagem se realizando é emocionante. Executar um projeto tão grande como esse faz a gente se sentir ainda mais capaz e querer novas aventuras.

Cair na estrada para conhecer novos lugares ajuda a nos enriquecer culturalmente. Estar perto de povos diferentes é importante para enterdemos a complexidade do mundo. Os hábitos das pessoas mudam a cada nova fronteira. É sempre interessante destacar que devemos valorizar nossa história de vida e mais ainda compreender e respeitar a identidade dos outros.

Consequentemente, isso nos transforma e passa ser uma ponte para que sejamos mais tolerantes. O mundo enfrenta uma crise profunda. A condição dos refugiados é cada dia mais crítica. Dá um tanto de deseperança ter conhecimento de constantes atos radicais. Por isso, conhecer novos lugares e pessoas tão distintas nos faz enxergar um outro lado bem mais compreensível e acreditar que o mundo pode ser mais pacífico.

Talvez o mais importante de tudo, fazer um mochilão ajuda no processo de autoconhecimento. De certa forma, fazer uma viagem longa, conhecer novas pessoas, dormir em camas estranhas, passar por tantos lugares estimula um desprendimento. Ao final, você vai perceber que não precisa de tanta coisa para sobreviver, que sua casa pode caber em uma mochila.

Passar tanto tempo fora de casa nos deixa reflexivos. Isso serve para pensarmos o que queremos para o futuro. Se queremos manter a rotina antiga, se queremos novos hábitos, como podemos fazer as mudanças. Também faz a gente pensar em quem ficou para trás. A distância permite pensar na família e nos amigos, lidar com a saudade e entender a falta que as pessoas podem fazer. Um estímulo para buscarmos companhias agradáveis para nossa vida.

Encarar um mochilão infelizmente não está ao alcance da maioria das pessoas. Porém, reforço que todo mundo deveria ter o direito de ao menos uma vez na vida poder viajar por muito tempo. Acredito que a busca por conhecimento e a troca de culturas ajudaria a transformar o mundo em um lugar melhor para viver.

Deixe uma resposta