Hostels em Londres – Minhas experiências 

Tida como uma das cidades mais caras do mundo, Londres é sempre um desafio para viajantas econômicos. Uma das maneiras de economizar com estadia na cidade é se hospedando em hostels. Das duas vezes em que estive na cidade a passeio fiquei em diferentes alberguers. Em 2012, quando viajei com mais três amigas nos hospedamos no YHA Earl’s Court. Já em 2013 quando fui com a minha mãe ficamos no Keystone House. 

YHA Earl’s Court

O YHA é uma das redes de albergue mais conhecidas do Reino Unido, com vários prêmios e coisa e tal. Como seria minha primeira hospedagem em hostel o fato de ser uma rede conhecida me deixou mais tranquila e ajudou na escolha. Na ocasião, fechamos um quarto privado para quatro pessoas. O espaço tinha dois beliches, uma pia e dois armários e não era nada apertado comparado a outros que encaramos depois.


O banheiro era dividido com outros hóspedes e ficava ao lado do quarto. Na verdade ficamos hospedados lá no começo da viagem e mais um dia no final, nas vésperas de irmos embora. Nesta segunda vez tivemos alguns problemas com chuveiro que não esquentava, mas nada muito grave.

O hostel fica próximo a uma rua bastante movimentada com vários cafés, pubs, McDonald’s e bem perto da estação Earl’s Court do metrô, umas duas ou três quadras de distância. Além do Wi-fi pago (coisa bem comum em Londres), outro ponto negativo talvez seja a localização, que não permite fazer muitas coisas a pé. Porém, para quem pretende comprar passes semanais do metrô por exemplo, com viagens ilimitadas, vale bastante a pena.

Dali, é possível ir direto até Heathrow (de onde chegam e partem os voos para o Brasil) e até King’s Cross (para pegar os trens da Eurostar) sem fazer baldeações.

Em geral, gostei bastante da região, mas não achei que o hostel tenha algo em especial.

Keystone House

Confesso que neste caso a escolha do hostel foi quase totalmente pelo preço. Um dos mais baratos na época para um quarto duplo sem banheiro. O ponto alto desse albergue sem dúvidas é a localização, a pouquissimos metros da estação King’s Cross do metrô, que dá acesso há várias linhas do tube, e também de vários cafés, McDonalds, restaurantes, Pret a Manger (amo!), etc.

O hostel é bem pequeno e ficamos em um quarto no subsolo sem janela. Esse tipo de acomodação normalmente é mais em conta, mas pode dar um certo pânico em algumas pessoas. O quarto era minúsculo e tinha apenas um beliche (a cama era bem confortável) e um armário. O banheiro era dividido, mas bem perto do quarto. Aliás, nunca encontramos ninguém por lá e o fato de dividí-lo com mais pessoas não atrapalhou em nada.


Usamos a cozinha apenas uma vez. Ela é bem ampla e acho que dá conta legal para quem gosta de cozinhar para economizar. Se eu não me engano o Wi-Fi era liberado apenas na área comum, que também era bem apertadinha.

Apesar de amar Londres ainda não fiquei hospedada em nenhum albergue que gostasse bastante, coisa que aconteceu em Barcelona, por exemplo, mas as estadias em geral foram boas, sem muitos perrengues.

Um comentário em “Hostels em Londres – Minhas experiências 

Deixe uma resposta