Dicas para arrumar a mala (ou mochilão) sem esquecer nada

Arrumar a mala é com certeza uma das partes mais complicadas de uma viagem. São tantas dúvidas que muita gente tem pesadelo antes mesmo de começar a organizar as coisas. Claro, não há um guia definitivo para seguir e ser feliz, mas algumas dicas podem ajudar na hora de preparar a bagagem e, principalmente, partir sem esquecer nada nem levar roupas em excesso.

O nosso mochilão de 80 dias pela Europa foi um teste de fogo. O desafio ficou ainda maior pela viagem ser entre o outono e o inverno. Ou seja, a roupa pesada de frio tinha que caber sem que a mochila ficasse com um peso desumano.

Com muita criatividade, conseguimos levar tudo que pretendíamos. Saímos do país com destino ao Velho Continente com 11 kg (Bruna) e 13 kg (Lucas).

mochilao viajenoblog

Tempo de viagem

A duração da viagem é essencial para pensar no que levar na mala. Tem gente que para passar o final de semana em um lugar leva mais coisas que outra pessoa que ficará um mês em um destino.

Exageros à parte, ter noção do tempo em uma cidade é importante para otimizar o espaço na bagagem. Uma viagem mais curta permite uma melhor organização. A pessoa consegue se programar melhor sobre o que fazer vai fazer durante a estadia. Isso facilita na hora de decidir a quantidade de peças para levar.

Um passeio mais longo já exige mais equilíbrio. O interessante é pensar não só no número de peças, mas como elas podem ser usadas mais vezes, em outras combinações.

Uma sugestão então é montar looks. Definir as composições que serão usadas no dia a dia, passeios, jantares e outras situações vai tornar sua organização mais objetiva. Agora, não dá para ficar em dúvida e levar três looks para cada ocasião que a mala vai ficar pesada mesmo.

Época do ano e previsão do tempo

Não dá para pensar em uma viagem sem antes checar as condições do tempo. Mais ainda, sem consultar as características do clima no destino na época do ano em que a viagem está programada.

palacio de versalhes outono

Guias, sites e blogs são boas opções para se informar sobre as médias históricas de temperatura e de chuva em uma região. Saber esses dados ajuda a se preparar melhor e montar uma mala sem surpresas.

Para quem viaja para o frio, o ideal é investir em um casaco ou jaqueta bem quente que suporte as baixas temperaturas. Ela vai ser a garantia que você terá uma viagem confortável. Blusas e calças térmicas, para serem usadas como primeira camada, são indispensáveis para se manter quentinho.

frio viena virada do ano

As outras blusas – essas que usamos no inverno brasileiro – servem basicamente para colocar por cima e compor um look mais bonito na hora de tirar fotos. Para deixar a aparência melhor, sem indicar a repetição das roupas, o conselho é incrementar o visual com cachecóis, gorros e outras peças.

A tarefa é um pouco mais fácil para quem tem como destino lugares quentes. É bom ter na mochila um número suficiente de peças leves e confortáveis para encarar o calor.

praia brighton

Lembrando sempre que é bom carregar uma blusa aconchegante na bagagem de mão para não passar frio com o ar condicionado em voos, trens e hotéis. A dica vale também para quem viaja no verão para países com temperaturas amenas. A noite e o comecinho da manhã podem ser friozinho nesses destinos.

Lavar a roupa na viagem

Quem tem uma viagem mais longa programada pode ficar atento às facilidades que hotéis e hostels oferecem. A dica serve principalmente para quem está planejando um mochilão. É preciso ter consciência que não será possível levar toda a roupa que que quer. Então, é bom incluir na programação a tarefa de lavar.

lavanderia

Em hotéis o serviço é mais cômodo e consequentemente mais caro. Basta entregar os objetos para os funcionários que eles devolvem no prazo indicado com as peças limpas e passadas.

Já em albergues é bom pesquisar bem as condições e principalmente preços. Alguns bem equipados oferecem máquinas de lavar e secar. Basta comprar a ficha de cada uma delas e seguir as instruções. O sabão também pode ser adquirido na recepção. O bom é que a vestimenta sai praticamente seca prontinha para usar.

Caso o hostel não ofereça a opção, a dica é perguntar por uma lavanderia por perto ou mais especificamente sobre algum estabelecimento parceiro.

Utensílios indispensáveis

Certas tralhas ocupam tanto espaço na bagagem que vale a pena questionar se elas realmente precisam ser levadas. Aqui a melhor forma de saber isso é preparando uma lista de artigos indispensáveis e refletir se são tão importantes assim.

O bom é ter tudo muito bem organizado. Algumas caixas pequenas ou necessaires podem ser a solução para separar e carregar maquiagens, produtos de higiene e remédios.

Aliás, montar um kit de primeiro socorros é fundamental. Não deixe de fora medicamentos para dor de cabeça, resfriado, queimação e outros incômodos que podem ser resolvidos de forma simples.

como montar a mala de viagem

Bom senso

Como em tudo na vida, montar a mala requer muito bom senso. Evitar extravagâncias é um bom começo para organizar a bagagem com tranquilidade. Tente levar sempre aquilo que vai fazer diferença e que você com certeza irá usar.

O peso da mala pode gerar muito transtorno no decorrer da viagem. Tanto pagando a mais na hora de despachar no aeroporto, mas principalmente na hora de carregar pelas cidades.

Ter uma mochila bem arrumada vai ajudar na hora de escolher a roupa para sair, a encontrar os objetos importantes e transportar de um lugar para o outro sem passar nervoso. Uma boa viagem começa com uma mala organizada.

 

2 comentários em “Dicas para arrumar a mala (ou mochilão) sem esquecer nada

  1. Oi, amei seu blog, queria saber se para fazer um mochilão teria que levar realmente essa mochila ou se daria para fazer com mala de rodinhas, pq não tenho e não sei se usaria a longo prazo ou se acha melhor qual marca de mochila recomendaria.
    obirgada

    1. Oi, Amanda. Obrigada pelo comentário!
      Você pode sim fazer um mochilão com uma mala de rodinhas. O único porém é que em algumas cidades você pode encontrar dificuldades em estações do metrô, por exemplo, que tem muitas escadas. Cidades como Paris e Roma não têm muitas escadas rolantes no metrô e a mala pode dificultar. Em Veneza, as pontes todas têm escadas em seu acesso, o que também atrapalha um pouco. Nossa dica, independente do tipo de mala é tentar viajar leve, com uma mala média ou pequena. Dessa forma você consegue se virar bem seja de mochila ou de mala. Sobre a mochila, a marca mais famosa é a Deuter que é alemã, mas é bem cara. A que compramos é da Quechua, que vende na Decathlon. Tem um preço razoável e nos serviu muito bem. Espero ter ajudado. Beijos!

Deixe uma resposta