Saiba como é explorar a Itália de trem e como garantir bons preços

De norte a sul, a Itália seduz pela história rica, a comida maravilhosa e as paisagens incríveis. Uma das melhores formas de explorar o país é de trem. Foi assim que cruzamos o país de Nápoles a Veneza, passando por Roma e Florença, durante 20 dias da nossa viagem. Nuncas é demais lembrar as vantagens de viajar de trem. Na comparação com que vai pegar um voo, a burocracia no embarque é muito menor; a localização das estações, geralmente em áreas centrais, é melhor; e mesmo com condições de tempo adversas a viagem não é adiada, a não ser em casos muito raros. Contamos abaixo como foi a experiência de embarcar nos trens da Trenitalia e listamos algumas dicas de como garantir que sua viagem seja tranquila.

Preços melhores

A dica para quem quer conseguir passagens por preços em conta é procurar com uma antecedência de 3 meses a 4 meses. Quando iniciar o planejamento da viagem, já pesquise e tenha noção dos valores de cada trecho. A partir então desse período estipulado inicie o monitoramento para checar as melhores condições.

É possível adquirir bilhetes em trechos mais curtos, como de Nápoles a Roma e de Roma a Florença, por até quase 10 euros mais barato. Uma viagem de Roma a Veneza, que pode sair por até 84 euros, sai por 27 euros comprando com antecedência. O trecho ligando Nápoles a Milão pode ter um preço até 60 euros menor. Buscar com antecedência também permite analisar os melhores horários para a viagem e até quem sabe adquirir um assento em uma classe mais confortável.

trenitalia frecciarossa2

Conforto

A tranquilidade pode resumir como foi o nosso deslocamento pela Itália. Os trens contam com bancos confortáveis, tomadas individuais e alguns até wi-fi. Os assentos são marcados e quem faz a compra da passagem pela internet não precisa validar o bilhete antes de embarcar. O funcionário da empresa é responsável por fazer isso. Basta apenas imprimir o tíquete com o código indicado.

Sobre o compartimento de bagagem, geralmente ele fica na entrada de um dos lados do vagão. É possível guardar ainda a mala no espaço entre os bancos. O bagageiro na parte de cima é bem apertado, indicado apenas para deixar blusas, casacos ou objetos bem compactos.

Tipos de trem

Os trens de alta velocidade da Trenitalia são divididos em três nomes: Frecciabianca, Frecciargento e Freciarossa. No momento da compra é indicado qual deles vai fazer o trecho. A comodidade é a mesma, mas algumas coisas mudam como, por exemplo, a velocidade. O Frecciabanca pode atingir até 200 km/h e circula por ferrovias tradicionais. Por isso, o número de paradas pode ser maior.

O Frecciargento passa por ferrovias de alta velocidade e convencionais. A velocidade dele chega a 250 km/h. Já o Frecciarossa é o mais moderno de todos. Podendo chegar a 300 km/h, os trens circulam por ferrovias de alta velocidade. Além do conforto acima da média, o turista pode embarcar e ainda usar o wi-fi, basta fazer o cadastro no celular ou no notebook. Caso você não tenha um celular italiano ativo, por onde é feita a verificação da conexão, é possível se conectar pelo cartão de crédito. Neste caso, é cobrado 1 centavo de euro pelo serviço.

trenitalia frecciarossa3

Facilidades

Geralmente localizadas nas regiões centrais das cidades, as principais estações de trem contam com serviços que podem facilitar a vida do viajante. Quem deseja fazer uma refeição antes de embarcar ou quem chega no destino com fome pode encontrar um café ou mesmo um restaurante. Algumas grandes redes, como McDonalds e Starbucks, possuem unidades nesses locais. Lojas de roupas, cosméticos, farmácias e bancas também são comuns. As bagagens podem ser guardadas em lockers. As estações estão integradas com o metrô e ainda têm ônibus para os aeroportos.

Principais estações

Para não ter dúvida na hora da busca, anote o nome das principais estações nas maiores cidades da Itália: Napoli Centrale, Roma Termini, Firenze Santa Maria Novella, Venezia Santa Lucia e Milano Centrale. Para quem está em Florença e planeja fazer um bate-volta para Pisa, a sugestão é descer nas estação Pisa Centrale. Quem quer esticar de Pisa para Lucca, a estação Pisa San Rossore é a mais indicada.

Trens regionais

Trechos mais curtos na Itália são feitos em trens regionais. O interessante dessa modalidade é que os preços não variam. Você pode comprar a passagem com antecedência ou momentos antes do embarque que o valor será o mesmo. A oferta de horários também é maior. Foi usando esses trens regionais que saímos de Florença e visitamos Pisa e Lucca no mesmo dia.

A passagem foi comprada nas próprias estações, os lugares nos vagões não são marcados e é preciso ficar atento aos nomes das estações. Ao contrário dos trens de alta velocidade, para embarcar nos regionais é preciso validar o tíquete em máquinas que ficam dispostas nas próprias plataformas, caso contrário pode render um multa pesada.

Nas estações é possível conferir o horário em que o trem vai passar e em qual plataforma. Como os trens passam por várias paradas, os atrasos são comuns, mas nada tão grave. Para quem tem intenção de fazer algum bate-volta, o interessante é observar os horários para volta. A partir do início da noite os horários começam a ser mais esparsos. Então não é legal perder um trem por cinco minutos e ter que ficar uma hora esperando pelo próximo. Algumas locomotivas podem ser antigas, mas no geral pegamos trens em boas condições.

Outras dicas

A compra da passagem pode ser feita pela internet direto no site da Trenitalia. É possível pagar com o cartão de crédito ou com o cartão pré-pago de viagem. Para quem tem dúvida, esse link (clique aqui) do site Viaje na Viagem ensina passo a passo como adquirir o bilhete. Está bastante instrutivo.

 

Imagens: Divulgação/Flickr/Ferrovie dello Stato Italiane

Um comentário em “Saiba como é explorar a Itália de trem e como garantir bons preços

Deixe uma resposta