Como aproveitar os encantos de Veneza em dois dias

Certas cidades precisam obrigatoriamente estar na nossa lista de lugares para conhecer antes de morrer. Veneza sem dúvida é um desses destinos que atraem multidões de turistas pela beleza única. As centenas de pontes, canais e vias apertadíssimas compõem um cenário curioso e encantador. Soma-se a isso a extraordinária Piazza San Marco, a Basílica San Marco e uma história incrível.

piazza-san-marco-veneza-viajenoblog

Quem viaja para a Itália não pode deixar Veneza de fora do roteiro. A melhor forma de chegar é de trem, na estação Santa Lucia, vindo de Roma, Florença ou Milão. Dois dias completos são indispensáveis para explorar os principais cantos da cidade. Prepare-se para muita caminhada e paisagens inesquecíveis.

O primeiro dia de passeio pode começar pela Riva degli Schiavoni, observando a grandeza do Canal de San Marco e contemplando do outro lado da margem a Igreja de San Giorgio Maggiore. Seguindo pela costa é possível passar por construções interessantes como a Igreja de Santa Maria della Pietà e o Monumento Nacional a Vittorio Emanuele II.

monumento-a-vittorio-emanuele-veneza

 

Adiante está Ponte dei Sospiri, de onde os prisioneiros tinham a última visão de Veneza antes de serem executados.

ponte-dos-suspiros-veneza

 

A Piazza San Marco é a grande atração da cidade. Poucas praças no mundo superam a imponência e a beleza do lugar. Andando pela extensa área é possível ver o Palácio Ducal, a Basílica San Marco, a Torre dell’Orologio e o Campanile di San Marco. A praça rende boas fotos de todo os ângulos.

campanario-piazza-san-marco-veneza

 

Se o dia estiver aberto, com o céu limpo, aproveite para subir no campanário. A torre possui quase 100 metros de altura e do alto a cidade é ainda mais linda. É no campanário que está o sino da Basílica de São Marcos, o próximo programa.

panorama-basilica-san-marco-veneza

 

A igreja guarda o que seriam os restos mortais do santo padroeiro da cidade. A entrada é livre, mas algumas áreas são restritas e cobram pelo acesso, como a ala onde estão alguns dos tesouros da igreja. Observe com calma cada detalhe das esculturas, afrescos e mosaicos da basílica. O interior dela é maravilhoso.

De volta às ruas de Veneza, descubra admiráveis paisagens andando na direção da Ponte de Rialto. O mais gostoso de Veneza é ir caminhando tranquilamente pelas vias que mais parecem labirintos e cruzando pontes e canais.

grande-canal-veneza

 

A Ponte de Rialto é a mais antiga e mais famosa travessia sobre o Grande Canal. Infelizmente quando fomos ela estava passando por reformas, assim não conseguimos apreciar a construção original.

ponte-de-rialto-veneza-1024x768

 

Depois de conhecer a área e tirar belas fotos, você pode caminhar até a região da Strada Nuova. Mais igrejas, rede famosas, lojas de luxo e até a Casa de Marco Polo estão no caminho. O primeiro dia de passeio pode ser finalizado na Ca’ d’Oro. O antigo palácio atualmente é utilizado como museu e está voltado para o Grande Canal.

Por dentro da história de Veneza

O segundo dia pode ser dedicado a conhecer a rica e interessante história da cidade. O ponto de partida é o Palácio Ducal, na Piazza San Marco. O local foi residência oficial dos doges, sede do governo e até prisão.

palacio-ducal-veneza

 

O tour expõe o desenvolvimento e a importância de Veneza ao longo da história. Um dos ápices da visita é passar pela Ponte dos Suspiros, dessa vez por dentro, e ter noção da derradeira visão que os prisioneiros tinham da cidade.

O tíquete para o Palácio Ducal garante ainda acesso ao Museu Correr, ao Museu Arqueológico e à Biblioteca Nacional, os três ficam dentro do mesmo complexo do outro lado da praça. Por isso, reserve a manhã inteira para o programa.

O destino seguinte é caminhar na direção da Ponte dell’Accademia. Lojas como Chanel, Prada, Louis Vuitton fazem parte do cenário do trajeto, além de igrejas, como a di San Moisè e di San Vidal.

Da Ponte dell’Accademia se tem uma bela vista do Grande Canal. Quem gosta de artes pode seguir até a Academia de Belas Artes de Veneza ou a Coleção Peggy Guggenheim. A primeira destaca artistas italianos, como Tintoretto, Ticiano e Veronese. Já a segunda é casa de obras variadas de renomados pintores mundiais como Miró, Dalí e Magritte.

la-salute-veneza

 

A parada final é a Basílica de Santa Maria della Salute, outra bela imponente igreja de Veneza. A história de construção dela é interessante. A basílica foi erguida no século XVII como graça à Virgem Maria por ter libertado a cidade da peste que resultou na morte de pelo menos 80 mil pessoas.

A “La Salute” contém arte sacra e pinturas de Tintoretto e Tiziano. A entrada é livre, mas fique atento aos horários de fechamento.

Despeça-se Veneza nesse maravilhoso cenário. Olhando para outro lado da margem a Pizza San Marco e toda exuberância do Grande Canal.

O que fazer em mais dias

Quem viaja com mais tempo pode curtir Veneza com muita calma. Além de espalhar os programas sugeridos, outras áreas da cidade podem ser exploradas. Cabe inclusive uma ida a Burano e Murano.

A primeira é conhecida pelos casarões coloridos, o trabalho em renda e as tradicionais máscaras de Carnaval. Já a segunda é famosíssima pela fabricação de vidros. Dois bons lugares para comprar belas lembranças ou então um adereço para casa de primeira qualidade.

canal-san-marco-veneza

Deixe uma resposta