Cinco igrejas para incluir no seu roteiro pela Europa

Locais de fé, mas também repletos de história e arquitetura deslumbrante. As igrejas são destinos imprescindíveis em um roteiro de viagem. Algumas são conhecidíssimas e dispensam apresentação. Já pensou em ir para Roma e não conhecer a Basílica de São Pedro no Vaticano? Ou então passar por Paris sem visitar a Notre Dame ou a Sacré Couer?

Estas são referências garantidas em qualquer plano de viagem pela Europa. Outras, no entanto, são tão belas e merecem toda atenção. Por isso, listamos cinco igrejas que mexeram muito com a gente durante o nosso mochilão pela Velho Continente e que valem a pena colocar no roteiro.

É bom deixar claro, antes de tudo, que as igrejas são locais de oração e muito respeito. Nada então de fazer o turista destrambelhado. Siga as regras e tenha bom senso. Algumas não permitem fotos e outras têm áreas restritas para circulação.

Fique atento com os trajes e observe o horário de funcionamento de cada uma para não perder a visita.

Sagrada Família, em Barcelona (Espanha)

Considerada obra-prima de Antoni Gaudí, a igreja começou a ser contruída em 1882 e a expectativa é de que seja concluída até 2040. Mesmo inacabada, a Sagrada Família é uma das mais originais e fascinantes da Europa. Cada detalhe foi pensado minunciosamente e com algum propósito por Gaudí, que trabalhou por 43 anos nela até a sua morte.

Passeando pela igreja, tanto por fora quanto por dentro, fica impossível não ficar de boca aberta. Os vitrais são as estrelas da Sagrada Família. A iluminação no interior do templo muda de cor conforme a posição do sol durante o dia. Por isso, torça para ter um dia ensolarado para ter um passeio inspirador e ainda mais inesquecível.

Duomo, em Florença (Itália)

A fachada de mármore faz da Cattedrale di Santa Maria del Fiore uma das mais exuberantes igrejas do Velho Continente. O Duomo ocupa o coração de Florença e pode ser visto de várias partes da cidade. Andar pelas ruas apertadas da capital da Toscana e se deparar pela primeira vez com a igreja é uma sensação indescritível que as fotos não conseguem captar.

Não é exagero falar que o viajante vai ficar impressionado toda vez que passar por ela e ver um novo ângulo revelado. É possível conhecer o interior da igreja sem pagar nada. Outros espaços são restritos e exigem ingresso, como a cúpula de onde se tem uma vista magníca de Florença.

Santa Croce, em Florença (Itália)

A cidade considerada berço do Renascimento merece ter duas igrejas na nossa lista. Se o Duomo atrai pela beleza da fachada de mármore, a Santa Croce merece uma visita pela importância histórica.

O templo guarda túmulos de figuras de importância inquestionável, como Galileu, Michelângelo e Maquiavel. Um monumento homenageia Dante Alighieri, outro personagem ilústre de Florença. A Santa Croce respira arte e história do início a fim da visita. Imperdível.

KarlsKirche, em Viena (Áustria)

A igreja de São Carlos, na capital austríaca, proporciona aos viajantes uma experiência completamente diferente de tudo. Nela, é possível observar uma parte praticamente inalcançável nas outras igrejas. E é esse fato que faz ela estar na nossa lista.

Sabemos que muitas igrejas impressionam pelo tamanho, pelos vitrais e afrescos. A Karlskirche não é diferente. Ela valeria o passeio apenas por isso, mas o algo mais coloca ela como um destino obrigatório. Deixando de lado o mistério, um elevador panorâmico e mais alguns lances de escada te levam até a cúpula, a 72 metros de altura, onde é possível observar as pinturas bem de perto.

Esqueça o medo de altura e aproveite cada minuto para observar cada detalhe das obras.

Igreja de São Matias, em Budapeste (Hungria)

Aquela atração turística que ganha seu coração já do lado de fora com o telhado feito de azulejos que misturam verde, branco e laranja. A Igreja de São Matias é uma construção bem diferente de outros templos religiosos tradicionais da Europa.

O interior dela é ainda mais espetacular, destacando a cor, a decoração, os objetos santos espalhados, bandeiras e várias cornetas da época medieval ocupando o teto. Um ambiente bem peculiar para conhecer. A Igreja de São Matias também tem um forte lado histórico. Em um dos eventos mais conhecidos, Franz Joseph e Elizabeth (Sissi) foram coroados reis e rainhas do império austro-húngaro lá.

Deixe uma resposta