36 horas para curtir intensamente o Rio de Janeiro

Uma das vantagens de morar em São Paulo é estar a uma ponte área do Rio de Janeiro. O que significa que partindo cedinho de Congonhas da para chegar rapidinho no Santos Dumont e aproveitar intensamente o fim de semana. Inspirada na série 36 horas do New York Times, preparamos um guia do que fazer em um dia e meio na Cidade Maravilhosa. Para ser prático, arrume sua mochila de costas e boa viagem!

A nossa aventura começa às 8h do sábado, aterissando no Santos Dumont. A chegada no aeroporto localizado no centro do Rio de Janeiro já é uma atração imperdível. Busque um lugar na janela e prepare-se para apreciar a maravilha de cenário na descida do avião.

Em terra firme, o destino seguinte é o Boulevard Olímpico, a área portuária que foi revitalizada para a Olimpíada de 2016. Pegue o VLT na entrada do aeroporto e siga até a Parada dos Museus. Do bondinho moderno, aproveite para observar a transformação que foi feita na área central do Rio.

A grande estrela do Boulevard Olímpico é o Museu do Amanhã. Reserve pela internet seu tíquete (R$ 20) para às 10h. A arquitetura do museu é espetacular e cada detalhe foi pensado para destacar a natureza e a sustentabilidade.

Isso fica ainda mais nítido no objetivo da exposição permanente no seu interior. O Museu do Amanhã traz um passeio pela história do Universo, do nosso Planeta, da Civilização e do Corpo Humano. Tudo é feito para ver, ouvir, sentir e refletir sobre a vida. Duas horas é o tempo ideal para passar pelas instalações.

Às 12h, para otimizar o tempo, aproveite para almoçar em alguma feirinha ou nos food trucks espalhados ao longo do Calçadão.

A tarde começa realizando o check-in no hotel/hostel que você escolher. Uma única diária é o suficiente para aproveitar o fim de semana no Rio.

Instalados no quarto, o dia do sol é um convite para aproveitar o que o Rio tem de melhor: a praia. A nossa preferida, até por uma questão estratégica que logo vocês vão entender, é a de Ipanema, já quase no limite com o Leblon.

Biscoito Globo, mate, limonada, cervejinha, água de côco, capirinha e outras delícias são indispenáveis para passar a tarde na praia. Aproveite para tomar um banho na água do mar ou então pegar uma corzinha no sol.

Com o entardecer, aproveite para ver o pôr do sol atrás do Morro Dois Irmão. Uma cena que rende até aplausos de quem se concentra na Pedra do Arpoador.

Da praia de Ipanema, por volta das 18h, a dica seguinte é ir até o bar Chico e Alaíde, na rua Dias Ferreira, no Leblon. Aqui tem um post só sobre ele. O bar localizado em uma das mais badaladas áreas do bairro atrai pelo chope gelado, a caipirinha de caju e principalmente pelos bolinhos saborosíssimos. Vai dar um aperto no coração ir embora do Chico e Alaíde sem ter provado tudo que consta no cardápio.

Quem tiver pique pode voltar para o hotel, tomar um banho e fechar a primeira noite no Rio na Lapa. O famoso bairro boêmio tem uma variedade enorme de bares e duas excelentes casas noturnas: o Circo Voador e a Fundição Progresso. Então, vale a pena consultar a programação com antecedência para conferir se algum bom show está previsto para a data da sua viagem.

O segundo dia na Cidade Maravilhosa, após uma agradável noite de sono, começa com ânimo e um café da manhã bem reforçado. O conselho é acordar o mais cedo possível para aproveitar a praia.

A avenida Atlântica, de frente para o mar, é fechada para veículos e vira um grande Calçadão aos domingos. Bom para quem pensa em alugar uma bicicleta ou praticar caminhada. A nossa sugestão é mais uma vez aproveitar a ocasião para dar um mergulho.

A dica aqui, de novo pensando no tempo, é escolher a praia mais próxima de onde estiver hospedado. Assim é possível curtir até o último e voltar para fazer o check-out no hotel/hostel.

Depois de almoçar, de volta com a mochila nas costas, o programa seguinte é um encontro com a natureza. Das 14h às 17h é possível visitar o Jardim Botânico (R$ 15) e o Parque Lage (entrada grátis). Ambos estão coladinhos e guardam paisagens deslumbrantes, com áreas preservadas da Mata Atlântica.

A tarde vai caindo e a despedida da Cidade Maravilhosa pode ser feita na Lagoa Rodrigo de Freitas. Outra área para reforçamos a ideia de como a natureza foi generosa com o Rio de Janeiro.

Da bela lagoa, estamos a cerca de meia hora do aeroporto, onde podemos pegar um táxi e às 20h encerramos nossa jornada. Do Santos Dumont, decolamos de volta para Congonhas, em São Paulo, onde chegamos revigorados para a semana que começa.

 

Cristo Redentor e Pão de Açúcar

Como um guia rápido para curtir as belezas do Rio de Janeiro não tem o Cristo Redentor nem o Pão de Açúcar? Confesso que ele foi pensado mais para quem já visitou o Rio outras vezes e já passou pelas duas principais atrações da cidade.

Quem não quer perder a oportunidade de conhecer os dois pontos turísticos pode fazer uma adaptação no roteiro. A sugestão é reservar um período do dia para cada uma.

Chegar até o Cristo e subir de bondinho até o topo do Pão de Açúcar demanda paciência. As filas, conforme o período do ano, podem ser extensas. A sensação, no entanto, é espetacular. A experiência de visitar o Rio vai ser ainda mais completa.

Mais dicas para curtir intensamente o Rio de Janeiro

  • Leve o suficente para caber tudo em uma mochila de costas. Isso vai facilitar seu deslocamento e vai ser mais prático para curtir os programas sem se preocupar com bagagem
  • Compre o ingresso antecipadamente para o Museu do Amanhã. Assim você ganha tempo e vai ter a certeza que poderá fazer a visita no horário desejado
  • O Museu do Amanhã pode ser combinado com o Museu de Arte do Rio (MAR). Eles ficam bem próximos e podem ser conhecidos no mesmo dia. O pacote sai por R$ 32
  • Veja a previsão do tempo. Isso é fundamental para fazer um plano B para seu passeio
  • Busque hospedagem nos bairros da Zona Sul, como Leblon, Ipanema, Copacabana e Botafogo. Vai agilizar seu transporte para outras áreas da cidade
  • Ficar hospedado próximo a uma estação de metrô pode baratear seu deslocamento

Deixe uma resposta